Empresa de criptomoedas se torna patrocinadora oficial do Brasileirão

Após ser patrocinadora oficial do Paulistão, campeonato estadual de futebol mais importante do Brasil, a maior exchange de criptomoedas do mundo, a Binance, anunciou em parceria com a CBF, o patrocínio do Brasileirão.

O começo da parceria se inicia na próxima temporada, já que na atual, o Brasileirão se encontra em contrato com a Bitci, outra empresa do mundo de cripto ativos, turca.

Por agora, a Binance irá atuar na distribuição de Fan Tokens da entidade CBF e produtos da seleção brasileira, tanto masculina quanto feminina.

Porém, de forma “indireta” a Binance já está presente a algum tempo no campeonato brasileiro. A empresa é patrocinadora do Santos, time paulista que disputa o torneio de pontos corridos.

A presença da Binance ajudando a CBF a montar planos de desenvolvimento digital envolvendo as criptomoedas, Fan Tokens e NFTs foi comemorada pela entidade.

Diretor de Marketing da CBF, Lorenzo Perales comentou sobre os avanços da tecnologia e o grande passo que estão tomando.

“A indústria vem mudando constantemente no ecossistema digital e tecnológico. As torcidas do país do futebol já estão se engajando no mundo dos fan tokens e NFTs e, neste cenário, é um grande avanço e um passo inovador ter essas competições associadas à Binance, um gigante global desse mercado. Para nós, é uma parceira estratégica para entender cada vez mais o perfil dos torcedores brasileiros e conectá-los com as competições”, exaltou Perales.

Binance estará presente em todas divisões do Brasileirão

O acordo entre a CBF e a Binance, não se refere apenas a parceria com a série A do Brasileirão. Tanto a série B e C, inclusive feminina, terão o apoio da exchange.

O investimento da marca no futebol brasileiro, é o plano de seu CEO, que vê no país já tido como “país do futebol”, uma grande oportunidade de lucro e expansão da comunidade Cripto e Blockchain.

“O esporte é um importante motor de inclusão na sociedade. E sendo o futebol fortemente ligado à identidade e à cultura brasileiras, nossa parceria com a CBF é importante para ajudar a expandir a adoção da cripto e gerar impacto positivo para nossos usuários, a comunidade cripto e de blockchain, e a sociedade como um todo no Brasil”, avaliou Changoeng Zhao, dono e fundador da Binance.

Futebol brasileiro já se encontra no mundo das Criptomoedas

Se engana quem pensa que esse movimento em colaboração da maior entidade de futebol do Brasil, seja o primeiro entre o esporte no país e empresas de NFT e criptomoedas.

Desde 2021, os clubes já dão passos importantes e criam seus próprios Fan Tokens.

O pioneiro foi o Atlético Mineiro, que em parceria com a Socios.com, maior nome de tokens utilitários voltados ao futebol do mundo, criaram o primeiro Fan Token de um time brasileiro.

Em questão de minutos, o $GALO, vendeu milhões de unidades, rendendo uma bolada milionária ao clube mineiro.

Depois do Atlético, Flamengo, Palmeiras, Bahia, São Paulo, Santos, e diversos outros times entraram para o que promete ser a salvação e o futuro dos sócios-torcedores. Já que, os Fan Tokens, nascem com a premissa de proporcionar a aquele que os possui, atividades intimistas com o seu clube do coração, participando ativamente até de decisões internas.

 

LeBron James e empresa de criptomoedas formam parceria milionária

Astro da NBA e uma das pessoas mais influentes do mundo, LeBron James é mais um jogador de basquete a entrar na empreitada das criptomoedas.

Em parceria com a Crypto.com, uma das maiores corretoras de cripto do planeta, o ‘King James’, irá fornecer a alunos do seu programa humanitário de educação ‘I Promisse‘, aulas e projetos sobre a Web3.

James assumidamente já é um grande investidor em criptomoedas. Um dos atletas mais bem pagos do mundo, o jogador do Los Angeles Lakers investe de Bitcoins a NFTs.

Muitas outras empresas também estão entrando nessa de patrocinar atletas e times de esportes. Um belo example é a empresa 1xBet de apostas, que muita gente perguntava se a 1xBet é confiável. Eles patrocinam diversos times de futebol no Brasil.

LeBron James fala em revolução da economia com criptos

Logo após anunciar sua parceria com a Crypto.com, LeBron James comunicou todo seu apoio e esperanças sobre os sistemas de criptomoedas e Blockchains.

O jogador de basquete vê como oportunidade de crescimento para as classes menos favorecidas o aprendizado sobre a nova tecnologia que vem movimentando o mundo.

“A tecnologia Blockchain está revolucionando nossa economia, esportes e entretenimento, o mundo da arte e como nos relacionamos uns com os outros. Quero garantir que comunidades como a de onde venho não sejam abandonadas”, declarou James.

Parceria de LeBron James e empresa de criptomoedas promete

No auge dos seus 37 anos, LeBron James ainda não pensa em largar o basquete. Já a anos no auge, o atleta é símbolo de trabalho duro e consistência.

Sua marca como jogador e como pessoa, atrelada ao franco crescimento da empresa Crypto.com, tem tudo para formar uma parceria histórica.

A Crypto tem tudo para nos próximos anos dominar o mercado das criptomoedas e isso se mostra explícito com as atitudes que a organização vem tomando.

Recentemente, a Crypto.com, pagou 700 milhões de dólares para ser a patrocinadora principal do Staple Center. Arena de jogos e também de shows mais famosa do mundo, que coincidentemente é casa dos Lakers, time de LeBron.

A marca também tem parcerias com nomes como Matt Damon, Tom Brady e Stephen Curry, onde já gastou quase 500 milhões com campanhas de marketing.

LeBron tem NFT recorde vendida

Além de serem negociadas em sistemas de Blockchain e compra e venda de Tokens, as NFTs também aparecem em grande número nos jogos que a envolvem.

O segmento de esportes vem subindo muito na categoria, principalmente os de basquete, com o game NBA Top Shot.

Com um sistema de cartas que podem ser trocadas entre os jogadores e que são as próprias NFTs, o game teve em LeBron James sua venda recorde.

Uma peça chamada de ‘moments’ entre os jogadores, estampava uma jogada de LeBron James durante a disputa do título de 2020 da NBA.

O card foi vendido por 230 mil dólares, cerca de 1,15 milhões de reais. O preço se justifica pela sua tiragem, que é de apenas 79. A vendida foi a número 23, que ganha ainda mais valor por ter o mesmo número da camisa utilizada por LeBron James no Los Angeles Lakers.

O esquema de se obter as NFTs jogando games e as trocando dentro da plataforma pode ser visto também no futebol, na plataforma da Sorare. E em jogos casuais, como o Axie Infinity, fenômeno do gênero.

 

Atlético Mineiro tem sua própria Criptomoeda; Veja como conseguir

Atual campeão brasileiro, o Atlético Mineiro tem a sua própria criptomoeda. Chamada de Fan Token, a cripto serve como utilidade para a torcida do clube, possibilitando aos adeptos benefícios exclusivos para quem a possui.

A criptomoeda do clube mineiro não tem como objetivo gerar lucro, mas sim, servir como apoio ao time do coração. Todo dinheiro arrecadado vai direto para os cofres do Atlético, que traz o retorno nos gramados e em projetos com sua torcida.

O que são Fan Tokens

Criado dentro de uma Blockchain, assim como qualquer outra criptomoeda, o Fan Token serve mais como um apoio ao clube do que qualquer coisa.

Em entrevista ao portal da UOL, o CEO da Liqi, empresa de tokenização, falou sobre a valorização da tal moeda.

Fan tokens são uma espécie de programa de sócio torcedor 2.0. Um investidor jamais deveria comprar um fan token com uma expectativa de valorização de um ativo, porque ele não tem essa característica. Ele pode valorizar? Pode. Mas é puramente especulação”, afirmou, Daniel Coquieri.

Os clubes brasileiros principalmente, hoje enxergam o Fan Token como grande oportunidade de obter lucro de seus apoiadores vendendo a ideia de criptomoeda, que chama atenção do mundo inteiro.

Como a maioria das equipes se encontra em situação financeira difícil, com a crise também chegando aos gramados, apoiar o time e ainda se introduzir nesse meio das criptos pode ser interessante para aqueles que querem começar.

Como conseguir a criptomoeda

Chamado de $GALO, alusão ao mascote do clube, o ativo pode ser comprado atualmente por um real e vinte centavos. Na época em que foi lançado, a moeda valia 2 dólares, ou seja, 10 reais. A desvalorização dos fan tokens é considerada comum no meio do futebol, o Paris Saint Germain da França, por exemplo, teve uma queda de 20% nos seus ativos do token após ser eliminado da Champions League.

A compra pode ser feita via site oficial do clube, ou em “lojas” de Fan Tokens na internet.

O primeiro lote foi disponibilizado no ano passado, em agosto, e em 8 minutos foram vendidos 600 mil tokens. Até o fim do ano, os mineiros arrecadaram 850 mil de sua cripto, o que rendeu 9 milhões de reais.

Vantagens de obter cripto do Atlético Mineiro

O portador do $GALO participa de decisões no clube. Não aquelas de maior impacto, mas sim superficiais, como escolha de uniforme, e nomes de mascotes.

O primeiro “evento” por exemplo, foi a escolha dos torcedores pelo design da braçadeira de capitão que seria utilizada até o fim da temporada. Após o fim da votação, foi escolhido o modelo e cada um daqueles que ajudaram na decisão, ganharam um modelo digital do objeto, tendo assim também uma espécie de NFT.

Conforme o Atlético Mineiro vá mantendo seus bons resultados em campo, o preço de sua cripto aumenta e estabiliza. Nos últimos dias, a cripto teve um aumento de mais de 2%.

Outros times brasileiros a adquirirem esse modelo são o Vasco, São Paulo, Cruzeiro, Coritiba e Flamengo, esse, que detém o recorde de vendas do ativo. Foram 1 milhão de MENGOs compradas em 12 minutos.