Universidade de São João del Rei sugere retorno do uso de máscaras

Com a presença da nova onda de contaminação da Covid-19, a Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) publicou, na última quarta-feira (16), uma sugestão para a volta do uso de máscaras nos ambientes fechados de todos os campi da instituição. Diante disso, além do retorno do uso de máscara, a recomendação também sugere alternativas como a higienização das mãos e o distanciamento social.

Nesse sentido, a intervenção é válida nas unidades localizadas nos municípios mineiros, como por exemplo, São João del Rei, Divinópolis, Sete Lagoas e Ouro Branco. A proposta da instituição de ensino superior é “zelar pela segurança sanitária da comunidade”. Anteriormente, o uso de máscaras nas unidades de ensino da instituição passou a ser facultativo no final de setembro deste ano, por causa da redução nos casos positivos de coronavírus.

A recomendação também ganha destaque sobre a “nova onda tem relação com a circulação da nova subvariante BQ.1, da variante ômicron do coronavírus”. Outros dados indicados como justificativa diz respeito a volta do uso de máscaras: o aumento da média móvel de casos diários, ultrapassou 60% em uma semana no Brasil.

Por fim, de modo geral, em Minas Gerais, a média por dia bateu novos casos numa crescente de 40% desde o início do mês.

Inscrições para projeto que associa teatro e acessibilidade são abertas em UFSJ

A Universidade Federal de São João del Rei abriu o leque de inscrições para “Terceiro Sinal- Teatro para todos”. Dessa forma, o projeto, que une teatro e acessibilidade, envolve encontros semanais no Departamento de Artes da Cena (Deace), no prédio principal do Campus Santo Antônio.

De acordo com a instituição particular do ensino superior, as vagas correspondem a voluntários e estão inauguradas visando a comunidade interna ou externa à UFSJ de forma completa, com ou sem diversidade funcional. Dessa forma, a proposta é apresentar cenas e espetáculos teatrais em várias unidades educacionais.

Em funcionamento numa parceria com o Setor de Inclusão e Acessibilidade (Sinac), é voluntário, o que valida que não existe bolsas, mas pode contar como carga horária de Atividades Complementares, para os alunos interessados da UFSJ. Quem quiser participar, precisa somente de enviar e-mail para [email protected] ou mensagem de texto ou áudio para o WhatsApp (31) 99103-1800.

UFSJ modifica política de assistência estudantil; entenda

A Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) divulgou, na última terça-feira (20), o lançamento da nova Política de Assistência Estudantil da instituição. A nova resolução altera a anterior, que estava em vigência desde 2014, e passa a regulamentar um novo benefício para estudantes com deficiência, segundo informações do g1.

Conforme a UFSJ, a Resolução 024/2022 monta o Auxílio Tecnologias Assistivas. Esse benefício é ofertado a estudantes com deficiência para aquisição de produtos, equipamentos, dispositivos e recursos materiais que projeta a inclusão e acessibilidade nas atividades acadêmicas.

Além disso, a nova política projeta a modificação da classificação dos perfis de situação socioeconômica de I a XII para as categorias de A a E. Por causa disso, a medida acontece em função da instituição notar a impossibilidade de atendimento aos perfis superiores a V por servidores e estudantes.

Por fim, a resolução aprovada pelo Conselho Universitário (Consu) da UFSJ aprovou também mudanças de pequeno porte como os critérios para o recebimento do Auxílio Moradia, Transporte, Alimentação e Creche.

Política de cotas para a pós-graduação é aprovada pela UFSJ

O Conselho Universitário (Consu) da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) aprovou a implementação da política de cotas para propor a inserção de alunos de pós-graduação, nesta semana. Como resultado, a medida objetiva promover a igualdade de oportunidades, assim como a inclusão social na instituição, de acordo com informações do g1.

Alguns públicos inclusos na política de ações afirmativas são: pessoas negras (pretas e pardas), indígenas, quilombolas, com deficiência e em situação de vulnerabilidade social, como pessoas trans (transgêneros, transexuais e travestis), refugiados, ciganos, entre outros.

Conforme a universidade, a proposta avalia a inserção das ações afirmativas em cursos de graduação da instituição como autora do incentivo por uma ampla qualificação profissional e acadêmica. O reitor da UFSJ, professor Marcelo Andrade, acredita que essa atitude envolve uma reparação de uma injustiça histórica.

“É uma conquista do movimento negro, uma continuidade das políticas de ações afirmativas”, afirmou Marcelo Andrade, em entrevista ao g1. 

Programa Saúde Menstrual tem inscrições abertas para o UFSJ

As inscrições para o Programa Saúde Menstrual foram abertas nesta semana, pela Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Como resultado, a iniciativa busca combater situações de precariedade menstrual de estudantes que enfrentem situação de vulnerabilidade socioeconômica. Nesse sentido, absorventes serão distribuídos.

A UFSJ relatou que é necessário estar matriculado, de forma regular, por, no mínimo, três disciplinas no semester do pedido. As interessadas têm até o dia 31 de agosto. O público prioritário é estudantes que têm benefícios como Moradia Estudantil, Programa de Avaliação Socioeconômica, Creche ou Emergencial.

Uma vez que a demanda seja maior, os estudantes excedentes nos editais 2021/1, 2021/2 e 2022/1 do Processo de Avaliação Socioeconômica (Pase), pela ordem crescente do Índice de Vulnerabilidade Socioeconômica (IVS), poderão ser contemplados.

Segundo a universidade, a medida visa distribuir insumos de higiene menstrual que são imprescindíveis para apoio aos períodos de menstruação dos estudantes. A cada uma vez, os absorventes serão entregues e o aluno contemplado receberá oito pacotes, contendo 16 unidades cada.

Alunos de Engenharia da UFSJ lançam protótipo nesta sexta

A equipe Fórmula del Racing, das turmas de Engenharia da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), vai estrear o novo protótipo na próxima sexta-feira (29), às 19hs. O evento vai ser gratuito e vai acontecer no anfiteatro do Campus Santo Antônio. Esta apresentação será a primeira após dois anos de pandemia de Covid-19.

Nesse sentido, o coletivo irá mostrar para o público de forma inédita o protótipo FDR-02X. Considerado de extrema relevância, o evento mostrará para o público as dificuldades e as soluções de uma equipe do interior em conquistar o sonho de encaminhar um protótipo para o torneio de Fórmula SAE.

Tida como uma equipe de Fórmula SAE, considera uma competição estudantil organizada pela Society of Automotive Engineers, ela foi criada por estudantes de engenharia da UFSJ. A missão do projeto é formar do zero um protótipo de fórmula para competir na próxima Fórmula SAE, que será realizada em Piracicaba, em São Paulo.

O lançamento vai ser organizado pelos próprios componentes da equipe e vai ter a participação de vários ex-membros, bem como a de professores da instituição, assim como de coordenadores, amigos e familiares.

Universidades federais de municípios mineiros pede recomposição de verbas de

Os estudantes do ensino superior nos municípios Juiz de Fora, São João del Rei e Viçosa podem sofrer mudanças internas nas universidades UFJF, UFSJ e UFV, respectivamente. Isso porque, o governo federal anunciou o bloqueio de 14,5% da verba dos centros educacionais e institutos federais para despesas de custeio e investimento.

Em decorrência do acontecido, as universidades federais dessas cidades do Estado de Minas Gerais divulgaram notas de repúdio após a medida governamental.

O bloqueio, em vigência desde a última sexta-feira (27), influencia diretamente no orçamento de entidades filiadas ao Ministério da Educação.

Três delas é a Capes, responsável pela coordenação dos cursos de pós-graduação, a Ebserh, gerenciador de hospitais universitários e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FND), que ajuda estados e municípios na garantia da educação básica de qualidade.

Acima de tudo, o governo brasileiro aponta que o contingenciamento é preciso para alcançar o objetivo de cumprir o teto de gastos, regra limitadora do crescimento das despesas públicas.

Insatisfeitas com a solução, a Universidade Federal de Juiz de Fora e a Universidade Federal de Viçosa emitiram comunicados ao g1 por meio de uma nota divulgada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

“Inadmissível, incompreensível e injustificável o corte orçamentário de mais de R$ 1 bilhão que foi procedido ontem pelo governo (27/05/22) nos orçamentos das Universidades e Institutos Federais brasileiros”, cita um trecho da nota oficial.

“Após o orçamento deste ano de 2022 já ter sido aprovado em valores muito aquém do que era necessário, inclusive abaixo dos valores orçamentários de 2020; após tudo isso, o governo federal ainda impinge um corte de mais de 14,5% sobre nossos orçamentos”, afirma um segundo trecho.